Sexta Meia Noite

Sextacast 59 – A Bruxa de Blair

Você acredita em bruxas? Então venha acampar com a gente na floresta de Burkittsville, pois nesse SEXATACAST vamos explorar a lenda da bruxa de Blair. Marlon Master, Evandro Sal, Edu Aurrai e André Silva (o espirito zombeteiro) montaram a barraca em plena mata e analisaram o pseudodocumentário A bruxa de Blair lançado em 1999 e a sequência O livro das sombras – A bruxa de Blair 2.

Esse programa conta também com a participação de Erika Ribeiro que estava passeando pela floresta (durante a madrugada) e veio até a nossa barraca participar do papo. É importante deixar claro que a discussão sobre o assunto acabou saindo um pouco fora do controle, (caso você note alguns ânimos alterados durante o programa) mas fomos fiéis ao tema o tempo todo.

Obs: Como ficamos perdidos na floresta de Burkittsville, infelizmente não tivemos tempo de fazer a sessão de recados nessa edição, mas para compensar no próximo programa faremos uma sessão dupla! Referente à edição 58 e a 59.

Obs2: Por isso não deixe de comentar ou enviar e-mail com sua opinião.

LINKS INTERESSANTES SOBRE O TEMA:

Site Oficial do filme
Discovery Channel – A Lenda da Bruxa de Blair
Trailer de A Bruxa de Blair 2 – O livro das sombras

Mande E-mail com SUGESTÕES, CRITICAS E PUXÃO NO PÉ:sextacast@sextameianoite.com

AGREGUE NOSSO FEED  –> Feed-se com a gente aqui!

Avalie!

Ser da Meia-Noite

  • Sou um seguidor do seu blog há algum tempo e sucessivamente achei seus posts muito bons. Matei-me de procurar mais informações sobre esse tópico e você tirou tudo de letra. Já marquei nos favoritos seu blog e irei visitá-lo daqui em diante.

  • Só consegui ouvir o cast hoje. A discussão foi muito boa. Eu não gosto muito dos filme, mas gosto da lenda criada pra eles. Tanto que o que mais gosto do The Blair Witch Project são os jogos, que espandem muito bem a lenda. Existem 3, Blair Witch Volume 1: Rustin Parr em que você é mandado pra Burkittsville em 1940 para investigar os assassinatos cometidos por Rustin Parr. O segundo, Blair Witch Volume 2: The Legend of Coffin Rock em que você é um soldado da Guerra Civil americana sem memória e que tem um papel importante nos acontecimentos dali. E o terceiro, Blair Witch Volume 3: The Elly Kedward Tale em que você é um padre que é mandado pra investigar se Elly Kedward era realmente uma bruxa! Os 3 são ótimos, joguei na época, hoje os gráficos estão bem defasados. Desculpem por um comentário tão longo! Continuem com o ótimo trabalho!

  • o/ BOO !!!! rsrs
    Então foi muito bom invadir a barraca de vocês, mas acho melhor não repetir um papo tão acirrado em um lugar tão pequeno, melhor em um grandioso casarão mal assombrado. kkkkkkkkkk
    Abraços a todos

  • Nossa! tenho que confessar que ainda não assisti esse filme ( é eu sei, é estranho ). Prometo que vou assistir e volto aqui deixando minha opinião e analisando melhor o episódio de numero 59 do SextaCast.

  • Klebão

    Ta aí um dos filmes que me deixaram morrendo de medo e principalmente soube como ningue utilizar a lenda urbana a seu favor. Parabens por mais um sextacast arrepiante!

  • Eduardo Ferrera

    Sou Eduardo moro em BH/MG e sou estudante de cinema. Eu ouço o programa de vocês já á algum tempo porém nunca havia comentado aqui, mas dessa vez senti essa necessidade de expor meu ponto de vista. A bruxa de Blair realmente não é um filme, também não é um documentário são as possiveis fitas encontradas do que um dia poderia ter sido de fato um documentário. sobre o a técnica de filmagem de documentário que alguém levantou não corresponde a realidade, todo o estilo de filmagem do possivel “filme” corresponde sim ao de um documentario, essa coisa de gravar narrando não existe eles estavam apenas coletando os depoimentos e imagens para sim depois na pós-produção acrescentar o carater jornalistico que o documentario apresenta, outro ponto é que se não existe um sentido nas fitas ninguém foi enganado pois o primeiro credito é justamente esse “..um ano depois seus filmes foram encontrados…” eles mostram o que os estudantes desaparecidos viram (e gravaram). o fato de não ter aparecido nenhum fantasma ou coisa do tip encomoda apenas as pessoas que não tem o habito de ver documentarios lembrem-se nós não sabemos o que aconteceu! lembrem-se da principal regra do cinema para poder sentir a experiencia “Embarque na fantasia” se não é um conteudo pronto até pq o proprio titulo original do filme é PROJETO BRUXA DE BLAIR, cabe ao espectador se aparar de informações extras para embarcar na estoria. Discurdo completamente da Erika quando diz que filme bom fala por si só, sito apenas um exemplo que talvez vcs conheçam “2001 uma odiseia no espaço” entre tantos outros filmes que precisam de uma pesquisa extra para poderem serem melhores aproveitados. Faltou para alguns cristicos do sexta meia noite entender a ideia da proposta, ele não foi feito para ser um bom filme, ou um filme que explicasse algumas coisa ele é apenas fitas com imagens perdidas. vendo do ponto em que não é um filme tecnico nem artistico ele funcionou sim muito bom, quando a ideia era usar uma lenda local para criar um projeto audio visual e ganhar muita grana com isso, e para o espectador que leu, buscou sobre o assunto ele funciona e bem como filme de horror. Bem essa é apenas mais uma visão a minha, espero que sirva, continuem com o otimo trabalho mesmo não acompanhando nos dias corretos eu sempre ouço o programa e é graças a vocês que eu encntrei uma das coisas mais legais feitas nesse gênero que Os contos do dia das bruxas. Abrços e até breve

    • Salve xará! Concordo contigo, este era o ponto de vista que eu queria passar no cast. Você disse muito bem, eu não me lembrei na hora, mas depois comentei com o Marlon, sobre o título nacional do filme. Eles deveriam ter levado ao pé da letra, O Projeto Bruxa de Blair, acho que quebraria muito desses estigmas que acabaram criados em cima da produção.

      Um abraço!

  • Thomas

    Olá amigos da meia-noite. Primeiramente parabéns pela discursão esse cast serviu pra mostrar q vc tem opiniões diferentes entre vcs e isso é bom. O meu ponto de vista é parecido com o da maioria das pessoas que viram ao filme na época de lançamento dele,eu acho importante levar em conta essa questão de que era um filme feito pra ser visto com informações extras, ou seja, para entender a ideia´era preciso ir ao site e ler algumas, ver alguns videos e ate mesmo pesquisar sobre a lenda acho q ele só funciona se for visto dessa forma. Bem eu vou aguardar o cast q irá debater mais isso depois pq é como marlon colocou bem, ne verdade ele funciona mesmo por fazer com q o público faça tdos esses questionamentos. abs e até sexta meia-noite!

    PS: Sempre bom ter o cast em dia.

  • É isso a e amigo cumprindo as promeças, mas ouvir mas e certeza de ser muito bom, porem nunca vi este filme sera que vou levar spoler na cara???

  • Charles Andrade, O Bob

    Olá amigos!Adorei a escolha do tema e ainda mais do papo. Vou explanar minha opinião. A questão de um filme ser bom ou ruim (eu já comentei muito sobre isso) é de cunho pessoal. Na minha teoria A bruxa de Blair vai além da concepção comum de filme. É uma experiência psico-cinematográfica (não que todos os filmes não o sejam, mas esse eleva isso a um novo plano). Fato. No entanto este também é FILME sim. A linearidade do roteiro não qualifica ou desqualifica este a categoria de filme ou não filme. Senão o que dizer dos filmes do Godard por exemplo? Muitas vezes gravados sem roteiro.Apenas idéias, cenas e imagens postadas que há primeira vista podem não fazer sentido, que fazem muito ao transportarmos pra época em que foram produzidos. Se alguem desavisado ver hoje seu filme “Simpathy for the devil” por exemplo, é bem possível que não curta, não compreenda, mas se o mesmo se coloca numa época de guerra do Vietnã, contracultura, elevação massiva da música pop, hippies, black power, tudo se torna minimamente relevante. No caso da Bruxa de Blair, acho que a partir do momento em que o espectador é posto como o mesmo na sala de cinema, aquilo passa a ser uma experiência cinematográfica.Por tabela filme.
    Pra mim filme bom é filme bom pra quem assiste. Se a minha experiência foi boa, o filme é bom, se eu não curti eu posso até respeita-lo pela sua importância e técnica, mas a cunho pessoal o filme é ruim. Não dá pra examinar o roteiro dito “desconexo” pois todo o marketing fora sala de cinema faz parte da experiência. PRONTO!!!! Abraço!

    • Marlon Master

      Meu amigo Chales eu só posso dizer uma coisa para vc, PALMAS e mais PALMAS, aplausos de pé. vc foi perfeito nas suas colocações, principalmente quando diz q o marketing faz parte da experiência do filme. abraço!

  • Bernardo C.

    Eu adorei ele na epoca que saiu… Mas nunca acreditei nesse papo de “fatos reais”.
    Já o segundo é ruim, mas ele não é tão ruim quanto dizem, com um pouco de abstração da até para curtir ele sim…

Siga-nos

Você pode acompanhar o sextameianoite.com nos perfis sociais abaixo:

Populares

Os Mais Comentados

Ver ícones
Sair
/* ]]> */